segunda-feira, abril 09, 2012

A difícil arte de “estar” desempregada!

Desde que voltei ao Brasil em 2011 tenho tentado inúmeras maneiras de voltar para a minha área: o Jornalismo.

Eu imaginava que seria difícil, visto que passei cinco anos longe do Brasil e fiquei dois anos longe do Jornalismo. Mas, para a minha surpresa, tem sido muito mais difícil do que eu imaginava.

Não tenho nem ideia da quantidade de currículos que enviei. Tanto para amigos (falam tanto em networking), quanto para os sites de empregos para jornalistas. Já até me aventurei a enviar currículos para cargos de secretária bilingue, porque chega uma hora em que você começa a “atirar para todos os (possíveis) lados”.

Você tem ideia de quantas respostas eu recebi? Nenhuma!

Comecei a avaliar: será que meu currículo é tão ruim assim? Ou será que sou considerada velha para re(começar)? Acredito que a queda do diploma de Jornalismo também tem sua porcentagem nessa minha crise. Afinal, para que vão me contratar se podem contratar um “estagiário” de Jornalismo por R$ 800,00? Meus mais de 15 anos de experiência não valem nada!

Estar desempregada no Brasil exige uma certa criatividade... o que esta jornalista desempregada pode fazer?

Bem, aqui começa a minha propaganda. Vou dar aula!

Se você precisar de aulas particulares, aqui estou eu!

Acho que posso te ajudar em alguma coisa:

1) Português: seu pequeno ou pequena está indo mal na escola? Em português? Você também? Eu preparo as aulas que forem necessárias para ajudá-los a melhorar.

2) Inglês: você estudou por vários anos em uma escola de inglês do Brasil e agora não tem com quem treinar... está a fim de bater um papo comigo? Aulinhas de conversação por telefone, skype ou msn.

3) Informática: seu pai, mãe, tio, tia, vizinho, vizinha estão sozinhos(as) e não têm nada para fazer nas manhãs e tardes de aposentado(a)? Não são aposentados? Hummmm... mas gostariam de aprender a mexer no computador? Não!  Isso é um monstro que ele (ela) não consegue aprender e você não teria paciência para ensinar... Eu estou aqui! Posso ajudá-los a entender esse “bicho” e começar a navegar na Internet. Posso até ajudá-los a escolher um computador ou laptop. Quem sabe entrar em sites de relacionamento e conhecer novas pessoas? Mas com total segurança! Ensino as “manhas” para que eles não caiam nas garras de pessoas aproveitadoras.

4) Bijuterias: já deu uma volta pelo shopping e ficou assustada com o preço das bijus? Adora variar, mas não quer gastar muito para ter bijuterias diferentes? Colares, pulseiras e brincos são a minha especialidade. Ensino o básico em 6 horas.

5) Cozinhar: mora sozinho(a), mas não sabe nem esquentar àgua? Se separou e não tem nem ideia do que fazer para comer? Está vivendo de congelados? Não sabe o caminho da cozinha? Sou formada em Confeitaria pelo Senai... (essa ninguém esperava né?). Engano bem na cozinha. Posso te ensinar o meu segredo!

6) Sei lá o quê! Me pergunte para ver se eu sei fazer :o). Nada ilegal ou imoral !

Ufa! Acho que dá pra me virar né? O que uma jornalista desempregada não faz...

Agora faltam os alunos! Me procurem!!!

Envie um e-mail para criativarosa@gmail.com com suas perguntinhas.

Estou esperando!

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Renascendo!

Depois de tanto tempo, resolvi reativar o meu blog...

Na verdade eu andava meio sem inspiração e esta semana uma pessoa (uma mesmo) me incentivou a voltar. É incrível como a força de uma mensagem me deu a sustentação necessária para recomeçar.

Meu querido ou querida fã anônimo(a), obrigada por ter postado uma msg tão simples, mas profunda. Estou de volta por sua causa.

Eu escolhi o meu autor predileto para "reestrear": Leo Buscaglia. E, provavelmente, ele estará frequentando muito este meu cantinho, pois foi nele que sempre encontrei forças para continuar com as minhas lutas!

Leo Buscaglia foi um ser especial, que deixou este mundo no dia 12 de junho de 98, exatamente no Dia dos Namorados do Brasil. Ele, que foi um dos maiores professores na arte do Amor e do conhecimento do ser humano, nos deixou uma herança linda: livros com mensagens de Amor. Não só o Amor entre homem e mulher, mas o Amor que existe (ou deveria existir) entre todos os seres humanos.

Vou deixar aqui um dos trechos do livro “Vivendo, Amando e Aprendendo”, que eu espero que sirva, de alguma maneira, para a sua vida.

“Não evite os estados negativos. Os estados negativos podem ensinar-lhes muito. Não evite pessoas que provocam em você estados negativos. Temos uma tendência a dar meia-volta e ir embora, mas essas pessoas vão fazer com que você se reavalie e se veja a uma nova luz. Sally não é o que o perturba. Você é que se perturba. Ela o deixa num estado negativo, porque não corresponde às suas expectativas. Bom, pior para você! A causa de seu sofrimento não é Sally... é você. Aprenda com os seus estados negativos. Livre-se das suas expectativas. Buda disse uma coisa mágica. ‘Quando você para de esperar, tem todas as coisas.’ Se quiser sofrer, é só andar por aí na expectativa.”

Pense nisso enquanto espera pelo meu novo post :o).

Estou de volta!!! E só agora me dou conta do tamanho da saudade...

segunda-feira, março 03, 2008

O coração do mundo

Cheguei nos Estados Unidos como muitos brasileiros: sem falar nem compreender a língua, sem conhecer direito a cultura, sem saber como agir perante os americanos e esperando encontrar um “primeiro mundo” como tantos alardeiam.

O que nós imaginamos e a realidade são dois opostos. Só vivendo aqui para se poder conhecer a real situação deste país.

Os brasileiros imaginam que quem vive nos Estados Unidos não tem problemas financeiros. Ledo engano. Os americanos, talvez mais do que muitos brasileiros, utilizam cartões de crédito, cheques “especiais” e contraem dívidas que podem levá-los (e levam) à falência. Não existem taxas bancárias para os serviços básicos, mas experimente deixar sua conta negativa uma vez e você terá multas que vão de 70 a 100 dólares. Mas este é um assunto para uma próxima conversa.

Hoje eu quero contar sobre um dos momentos mais emocionantes na minha vida americana.

Em dezembro eu estava no aeroporto esperando pelo meu vôo e sentei ao lado de um soldado americano. Neste período, muitos deles retornam aos seus lares para passar o Natal com a família. Um senhor se aproximou e perguntou se estava tudo bem com ele e agradeceu por ele estar no campo de batalha, lutando para proteger a família de tantos americanos. O rapaz estendeu a mão e agradeceu. Este senhor foi saindo, mas parou e retornou. Tirou uma nota de 20 dólares do bolso e entregou ao soldado, que recusou imediatamente. O senhor insistiu e disse:

- Nada neste mundo pode pagar o que você vivencia para nos proteger. Por favor, eu gostaria de poder dar mais, mas aceite este trocado apenas para simbolizar o quanto eu lhe sou grato.

Este gesto simples me tocou profundamente. Neste momento eu vi que a realidade brasileira e a americana são totalmente diferentes, mas que o coração do povo é o mesmo em qualquer lugar onde eu esteja.

Como muitos brasileiros que vivem aqui, eu sinto uma falta imensa do meu Brasil, mas estou aprendendo a viver a vida americana.

terça-feira, junho 20, 2006

Justiça seja feita!!!

Quem me conhece já sabe que nunca deixo de puxar orelhas quando necessário, mas também elogio quando acredito que merecem.

Ontem liguei pra UOL (quase uma hora de ligação USA/Brasil) e um atendente – que faço questão de citar (Leandro Barreto) – finalmente consegui resolver meu problema depois de quase três meses.

Ele foi super paciente (porque eu estava irada e de saco cheio) e, além de me dar uma solução, ainda me convenceu a ficar na UOL.

Isso que é atendimento ao cliente! Ele me fez lembrar dos ombusdman´s e ouvidores do Brasil. Esses sim, resolvem tudo rapidamente! Posso garantir isso, pois fui atendida pelos ombudsman´s das americanas.com e da telefônica e resolvi tudo em menos de 24 horas.

Se você já procurou o atendimento ao cliente de qualquer empresa e não teve solução para o seu problema, procure pelo ombudsman ou pela ouvidoria da empresa. Somente esses profissionais podem te ajudar.

Agora, se for o caso da UOL (que, pasmem!, não tem ombudsman nem ouvidor), procure pelo Leandro :o).

Qualquer dúvida ou informação sobre este assunto... é só me escrever. Terei o maior prazer em ajudá-lo!

Ahhh, definição de ombudsman no dicionário Aurélio: "nos países de democracia avançada como, p. ex., a Suécia, funcionário do governo que investiga as queixas dos cidadãos contra os órgãos da administração pública. Pessoa encarregada de observar e criticar as lacunas de uma empresa, colocando-se no ponto de vista do público". Taí!

Beij:o)!

quarta-feira, junho 14, 2006

Cansei da UOL !!!!

Amigos, depois de constantes e cansativos pedidos de informações para a UOL para que eles me explicassem os valores das minhas faturas, eu cansei!

Por isso mudei de endereço de blog. E logo mudarei meus endereços de e-mail.

Estou finalmente me livrando da UOL. Uma empresa em que fiquei associada por longos anos...

O desrespeito dela com uma cliente de tantos anos foi tão grande, que me vejo aqui no direito de fazer minha propaganda "negativa".

Agora estou com um endereço novo de blog. Gratuito! E sabem de uma coisa? Eu estava tão acostumada a ficar lá, que nem percebi o quanto aquilo me restringia.

O blogger, além de ser gratuito, me dá a liberdade de postar muita coisa, colocar cores, pular linhas e deixar tudo com um visual muito mais bonito e interessante.

Eu aconselho!!! Quem estiver com a UOL... pule fora!

Usem:

- para blogs: www.blogger.com

- para e-mails: www.yahoo.com.br . Tem que ser o Yahoo brasileiro, porque ele permite que você "puxe" suas mensagens para o Outlook.

Este é o meu desabafo e meu conselho... :o).

De todas as dores do mundo...


De todas as dores que já pude sentir, hoje, em primeiro lugar, está a dor da saudade...

Hoje estou num outro país. Aprendendo uma nova língua, cultivando uma nova cultura, aprendendo e tentando apreender novos ensinamentos.

Hoje sou uma imigrante. Como foram meus pais, irmãs e irmão quando chegaram no Brasil em meados dos anos 60.

Minha mãe... que falta me faz pegar na sua mão e ficar sentada juntinho dela, curtindo o seu calor.

Minha família, como sinto falta de estar com todos eles. Falta das festas em família, do carinho, da presença e do amor incondicional...

Hoje sinto falta do abraço dos amigos. Das conversas. Das noites de cantoria. Da roda de amigos.

Hoje sinto falta do olhar dos brasileiros. Não há olhar como esse em lugar algum do mundo...

Hoje penso (muitos vão dizer: absurdo!!!) na falta que me faz aquele pastelzinho de feira (qualquer um com catupiry). Na saudade daquele cheirinho da mortadela brasileira (sem intenção de fazer propaganda, mas ahhhh que saudade da Ceratti).

São coisas pequenas...

Dizem que a gente só dá valor quando perde. Na verdade, nem precisei perder... pq sei que tudo isso está lá ainda. Está no meu lindo Brasil. Meu valoroso e valioso Brasil!

Mas prometo, estarei de volta logo para matar essa saudade que me mata! Não voltarei para sempre (afinal escolhi ser imigrante/emigrante!!!), mas viverei cada instante, cada abraço, cada carinho que a vida me proporcionar... e comerei mais pastéis com catupiry e sanduíches de mortadela do que possa aguentar :o).

Enquanto isso, minha vida aqui continua. E não posso reclamar dela. Afinal, estou feliz!

Mas isso é um assunto para um outro dia...

Apenas viver...

De tanto tentar entender as coisas, acabei por não tentar entender mais nada.

Melhor viver um dia de cada vez. Realizar uma coisa de cada vez. E ser feliz!

É assim que são as coisas. Simples! Então, pra que complicar?

Se bem que de vez em quando... bate aquela falta de senso e nos leva a complicar tudo de novo.

Maluco esse papo? É, também acho. Mas assim somos nós. Apenas seres humanos. Propensos a errar. Dispostos a corrigir.

Só não me pergunte o porquê desse papo. Não tem motivo. Sem coerência. Apenas deu vontade de sair do meu normal :o).

Se pudesse voltar no tempo...


Outro dia, ouvindo a música Rua Ramalhete, tive a exata sensação de voltar no tempo...

Tempos em que não existia o tal do ficar. Tempos em que existia o bailinho com vassouras... Falando assim, parece que faz muito tempo, né? Mas nem faz tanto tempo não.

O que posso dizer é que era muito bom. Era tudo muito inocente. A gente era pedida em namoro e podia pedir pra pensar... era o charminho da época :o).

O primeiro beijo, o primeiro toque, a primeira transa, o primeiro amor tinham uma intensidade diferente... traziam um tremor diferenciado.. um bater louco do coração. Pelo menos para mim.

Sei que de nada adiantaria voltar no tempo se eu não tivesse as experiências que tive nesses últimos anos, mas gostaria de poder assistir a tudo novamente. Um filme da minha vida, em que eu pudesse relembrar alguns detalhes...

Ahhh, se eu pudesse voltar no tempo, gostaria de rever meus velhos amigos de pré e voltar a brincar, inocentemente, de "beijo, abraço, aperto de mão"...

Se pudesse voltar no tempo, queria muito poder abraçar as pessoas que deixei de abraçar e dizer o quanto as amei e amo...

Se eu pudesse voltar no tempo, tomaria os banhos de chuva dos quais fugi, diria mais "sim´s" aos pedidos de namoro e curtiria a vida sem pré-conceitos.

Conheçam a música Rua Ramalhete – Composição de Ney Azambuja e Tavito:

Sem querer fui me lembrar
De uma rua e seus ramalhetes
O amor anotado em bilhetes
Daquelas tardes
No muro do Sacré-Coeur
De uniforme e olhar de rapina
Nossos bailes no clube da esquina
Quanta saudade
Muito prazer, vamos dançar
Que eu vou falar no seu ouvido
Coisas que vão fazer você tremer dentro do vestido
Vamos deixar tudo rolar
E o som dos Beatles na vitrola
Será que algum dia eles vêm aí
Cantar as canções que a gente quer ouvir

Contos de fada...

Quem não sonha com um monstro que se transforma num lindo príncipe, como no caso da Bela e a Fera?



Esse sonho não é um privilégio somente de adolescentes. Mulheres (e homens!!!) de todas as idades sonham com isso.



Infelizmente, a realidade não tem se mostrado muito favorável aos sonhos. Mas por que será? Será que as mulheres andam fazendo exigências altas demais? Será que os homens é que não estão conseguindo se transformar no príncipe encantado? Ou será que a mídia é que nos faz sonhar demais e viver de menos?



Pessoas, acho que está na hora de viver! Deixar de lado os contos de fada e tentar encontrar sua outra metade entre os seres humanos normais.



Eu tenho vários amigos e amigas a fim de encontrar a sua metade. Alguém quer conhecê-los? Alguém quer fazer parte da listinha?



Fiquem à vontade e usem meu fotoblog para deixar seus e-mails :o).



Quem sabe consigo comer bolo ainda este ano... rs.

Um único amor...

Anteontem, Dia dos Namorados no Brasil, me veio a idéia que eu procurava há dias para conseguir postar.

Me lembrei de quando fui a Curitiba e conheci um cisne... um bichinho que nadava solitariamente no lago do Parque das Pedreiras, onde fica o teatro Ópera de Arame.

Eu perguntei ao homem que tomava conta do lugar o porquê de, num lago tão grande, só haver um cisne.

Ele me disse que aquele cisne havia ganho uma companheira, mas que ela havia falecido e, desde esse dia, ele nunca mais aceitara outra companhia, apesar das diversas tentativas. Disse que os cisnes são fiéis ao primeiro (e único) amor.

Na época achei os cisnes muito radicais...